Notícias & Eventos

Mudança de vida para 4.700 jovens no Maranhão

30.03.2011

Coordenadora do Projeto, prof. Sônia Ferreira em visita ao curso de Beleza e Estética

No Estado do Maranhão o IPDE, por meio do ProJovem Trabalhador, atendeu  4.700 jovens em seis municípios, os quais foram capacitados a exercer atividades profissionais em onze arcos ocupacionais: Agroextrativismo, Construção e Reparos I, Construção e Reparos II, Telemática, Pesca/Piscicultura, Beleza e Estética, Saúde Alternativa, Turismo e Hospitalidade, Vestuário, Metalmecânica e Alimentação.

Municípios beneficiados:
Timbiras: 300;
Icatu: 500;
Imperatriz: 1.000;
Açailândia: 500;
Bacabal: 400;
São Luis: 2.000

A Gerente do IPDE no Maranhão, Lizane Soares Ferreira, falou de suas expectativas para o Projeto: “Vejo a qualificação como uma grande oportunidade de mudança do País, pois proporciona aos beneficiários, oportunidades de ingressar no mercado de trabalho, incentivando o empreendedorismo, novos negócios e a independência financeira. O ProJovem no Maranhão traz muitas expectativas e esperanças para os jovens de vários municípios. Tenho certeza de que, ao final deste projeto, teremos 4.700 jovens com pensamento e visão diferenciados e com vontade de fazer a diferença”.


A professora Sônia Ferreira, coordenadora pedagógica do ProJovem Trabalhador no Maranhão, em uma de suas visitas a Bacabal, teve oportunidade de ouvir um pouco da história de alunos, como ela própria relatou à Revista do IPDE.

 “Ter oportunidade de coordenar a área pedagógica do Programa ProJovem Trabalhador – Juventude Cidadã e poder contribuir com a realização de sonhos de milhares de jovens quase sem perspectiva de vida em 6 municípios do estado do Maranhão foi sem dúvida a maior experiência pessoal e profissional de minha vida. Esta foto é de uma jovem mãe de três filhos, residente no município de Bacabal, que sempre sonhou em ter uma profissão e matriculou-se no curso de Beleza e Estética. No final do ano passado, em uma das visitas aos locais das salas práticas, me ofereci para que ela tratasse as minhas unhas, foi quando ela me contou que amava o curso e que seu sonho estava sendo realizado, havia colocado uma plaquinha na porta de sua casa – Manicure e Pedicure –, onde atendia aos finais de semana, porque trabalha como doméstica. Como estavam se aproximando as festas de final de ano e a procura seria maior, ela estava de olho em uma colega de curso para ser sua funcionária. Fiquei muito emocionada com suas palavras, além de ver o brilho em seus olhos e um largo sorriso de felicidade.”